Goiá - Músicas Letra D - Rádio Goiá

Saudade de Minha Terra
Sua Vida, Seus Amores, Suas Composições, Sua História...
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Despedia de um poeta
Goiá E Almir

Declamado:
No fim da vida estou gravando esta mensagem,
Quem ouvir, por gentileza, pegue este gravador,
E leve ás pessoas, pro meu bem lá em São paulo,
Na avenidaAngelina, lá na Vila Leonor.
Se não achá-la, faça mais este pedido.
Porque sei que dentro em breve., deixarei de existir,
Leve ao programa do Zé Russo ou do Meireles,
Fale lá com o Atos Campos, pra tocar pra ela ouvir.
Conforme a hora, leve a Rádio Record,
Ao programa Classe A, que é certa a sintonia,
Leve á Tupi, Nacional ou Bandeirantes,
Onde tocam os meus discos, que ela ouve todos os dias.
Estou morrendo, minha querida,
Longe de todos, longe do lar.
Esta canção é a despedida,
Que seu poeta escreve a chorar.
Choro de mágoa e não de medo,
A minha hora sei que venceu,
Mas sinto tanto, partir tão cedo,
Sem a ventura de um beijo seu.
Deixo na terra meus sonhos loucos,
para a ganância dos Fariseus,
Enquanto a vida se esvai aos poucos,
Dentro da noite do meu cruel adeus.
Ame-me ainda por uns dois anos,
Depois aceite o que lhe seduz,
Porque minha alma em outros planos,
Já socorrida busca Jesus.
Adeus, meu último amor desta terra,
Pra mim se encerra a vida carnal,
Eu sou uma forma de pensamento,
Que volta ao mundo espiritual.

Dia mais triste da vida
Goiá

Hoje é o dia mais triste da vida.
Eu sou homem, mas quero chorar.
Pois aquela que foi minha noiva.
Com outro vai se casar.
A partir desta amarga hora.
Guardo luto em meu coração.
E juro por Nossa Senhora.
Que jamais na vida terei ilusão.
Venho dizer-te adeus nossos olhos jamais se verão.
Antes de ires pra igreja, me despeço com esta canção.
Vai que chorando me vou a rezar pela tua união.
Sob o véu eu bem sei que ocultas.
Triste pranto de sua incerteza.
Pois bem sabe que por teu amor.
Mostrarei a verdade ou nobreza
O dinheiro comprou teu futuro.
Não receias o meu proceder.
O nosso diário amoroso.
Em meu coração só eu posso ler.

Duas Vidas
Goiá E José Russo

Eu vivia sozinho e voc~e também,
Nós éramos apenas metade,
Depois nos encontramos e formamos um todo,
No mundo colorido da felicidade.
Eu era a sua vida e você a minha,
Aguardando a volta ao Pó,
Com tanta afinidade, meiguice e carinho,
Passamos mansamente a ser dois num só.
Nós amamos, nos completamos,
Nós desgastamos, nos separamos,
E os fragmentos de nosso amor, muita gente vê,
Você se foi e levou metade de mim consigo.
Com ironia trouxe comigo,
A outra metade de você.
Pelos caminhos de minha vida eu segurei,
Sentido a falta dessa metade,
Através do tempo eu deixarei,
A marca indelével de uma saudade.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal