Goiá - Músicas Letra P - Rádio Goiá

Saudade de Minha Terra
Sua Vida, Seus Amores, Suas Composições, Sua História...
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Paraná querido
Goiá e Paulinho Gama

Paraná querido sua terra e seu povo
Eu venho de novo homenagear
Se deixei pra trás alguma cidade
Pois minha vontade era em todas falar
Falei em Cambará e Jacarezinho
De Jataizinho volto em Andirá
De Ribeirão Claro falo em Bandeirantes
Não muito distante Itambaracá
Falo em Santo Antônio que é da Platina
Falo em Tomazina e Wenceslau Braz
De Siqueira Campos falei em Ibiporã
Cornélio Procópio terra de cartaz
Querida Londrina região do café
Rolândia e Cambé e Mandaguari
Falei em Arapongas e Apucarana
E Santa Mariana falei em Uraí
De Porecatu dizer é preciso
E de Paraíso até Assaí
Diamante do Norte e Amaporã
De Jaguapitã a Paranavaí
De Nova Londrina Querência do Norte
E de Cainorte também vou falar
De Umuarama, Cruzeiro e Guaíra
Jandaia e Cambira, também Maringá
Falo em Cascavel e Ubiratã
Ivaiporã e Foz do Iguaçu
Falo em Medianeira, Palma e Barracão
De Campo Mourão falo em Céu Azul
Falo em Pato Branco, Toledo e Beltrão                                                                                                      De Porto União a Piraí do Sul
De Guarapuva a União da Vitória
Falei em Laranjeira e Guarani-açu
E de Terra Rica falei em Guaraça
São Mateus do Sul e Paranaguá
E de Ponta Grossa falo em Curitiba
Capital querida do meu Paraná

Poço Verde
Zilo e Zalo
Composição: Goiá

Meu Poço Verde, velho amigo do passado
Vem rever-te emocionado
Um antigo menestrel
Que pela vida vem cantando tão contente
Mas que chora intimamente
Ao falar 'Coromandel'
Meu Poço Verde, sinto agora a realidadee
No compasso da saudade
De um amor que já perdi
Com minha gente vim cantando pela estrada
Numa longa caminhada
Pra chorar junto de ti
Meu Poço Verde que saudade dos carinhos
E de uns olhos tão verdinhos
Que eu amava igual a ti
Guardei comigo a pureza desse amor
Não demonstro minha dor
Mas também nunca esqueci
Lindo recanto que conservo na lembrança
Desde quando era criança
E deixei Minas Gerais
Mas muita gente que te olhava com carinho
Já seguiu outro caminho
E aqui não volta mais
Há muitos anos no cantar das juritis
Entre lágrimas sutis
Um adeus te dei também
E hoje volto escondendo a verdade
Com saudade da saudade
Que sentia de alguém
Meu Poço Verde, que saudade dos carinhos
E de uns olhos tão verdinhos
Que eu amava igual a ti!
Guardei comigo a pureza desse amor
Não demonstro minha dor
Mas também nunca esqueci

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal