Goiá - Poema 01 - Rádio Goiá

Saudade de Minha Terra
Sua Vida, Seus Amores, Suas Composições, Sua História...
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Este poema Goiá escreceu quando regressou de ônibus a São Paulo, depois de ter passado seu aniversário em Coromandel,
indo recitá-lo no Programa Biá e Seus batutas na Rádio Nacional, em agradecimento ao povo de Coromandel pelas homenagens.

Mensagem a minha terra
Goiá

As lágrimas no rosto vão correndo, enquanto penso,
na terra mais querida deste meu Brasil imenso,
prestando a homenagem mais bonita que se fez.
Uma cidade interia que se irmana e apressa,
A receber o filho tão humilde que regressa,
Envolto na saúde e na sua pequenez,
Meus discos de saudades, exaltando as paisagens,
São hoje quase nada, ante tantas homenagens,
Num mar de euforia eu os vejo quanse imersos,
Depois desta viagem , minha gente inesquecíel,
Tornou-se para mim, humanamente impossivel,
Pagar tanta bondade através de pobres versos,
Meu lindo Poço Verde, companheiro solitário,
Passei em tuas margens meu feliz aniversário,
Mas tive a companhia da saudade que voltou,
De uns olhos muito verdes, como tua mansas águas,
Que foram lenitivos pra lavar as minhas mágoas,
Do pranto da esperança que o tempo desbotou.
Amada alma gêmea que voltou a minha vida,
deixemos esta parte da história esquecida,
Que fique o fragmento, seja um sonho pequenino,
Pois hoje como ontem, amanhã como depois,
Virão outras histórias bem iguais a de nós nois;
E assim a humanidade vai seguindo o seu destino...
Vai longe o pensamento pelas asas da saudade,
levando a mensagem de amor e amizade,
Na brisa da alvorada qaue balança os mangueirais.
E quando o canarinho repicar ao pé da serra,
Será o filho ausente a chorar por sua terra,
Sonhando com as planícies que talvez não veja mais.
Saydade das fazendas, das campinas e cascatas,
Da turna de amigos, do luar das serenatas,
Que a gente lá fazia , sem barulho ou escarcéu.
Não sei se o que digo, possa até ser heresia,
Mas era tanta paz e tanto amor que se sentia,
Que ás vezes eu pensava que pudesse estar no céu.
Oh, Coromandelenses! Distribuo aos companheiros,
As grandes emoções do mais feliz dos brasileiros,
Nas horas de venturas que me deram a granel,
Minha alegria não se apaga ou perde o brilho,
pois tenho o privilégio e a hora de ser filho,
Da nossa gentil e inesquecivel, Coromandel.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal